quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Minha opinião sobre as bancas em festivais...

As vezes me perguntam pq eu não participo de competições.
As vezes pensam que estão me provocando ao me comparar com A ou B  “Fulana ganhou não quantos festivais!”
Sempre me recusei  a ser avaliada por quem não entende NADA de dança árabe. Acho o fim da picada ter só um arbitro de árabe na banca. A única vez que dei uma chance um retardado teve a capacidade de dizer que a minha dança precisava de mais energia (!), que era segura de mais... WFT??? Ele foi no banheiro, foi fumar, amarrar o sapato, mas não é possível que tenha visto de fato toda a coreografia, Viu um pedaço do taksin  e deve ter pensado, lento, chato... cadê o véu? E simplesmente não viu o balady que veio depois.

Acredito que se um festival quer ter uma modalidade tem que contratar profissionais da área. Pq se faz um investimento alto para participar de um festival. Tempo, aulas extras, ensaios, passagem, hotel, inscrição, alimentação, figurino...Não para uma mas no mínimo duas pessoas.
Passa-se meses de preparação , esforço, dedicação para vir um idiota qualquer e dizer “Bonito figurino”, "Alegre", "lindo véu",  será que ele esta de acordo com o que a bailarina estava dançando??? Canso de ver gente dançando  “dança do ventre” Raks el Assaya, Raks el Balaas, Ra’as El Nasha’ar (Khaleege) , Raks al Senniyya , Shamadan (Candelabro)  de barriga de fora e ainda com o ritmo errado.
Primeira coisa que eu pensaria é : VAI ESTUDAR!  Mas como já passei pela situação de a banca não “entender” o figurino, não sei até que ponto é falta de estudo ou “adequação”  a banca.

Minhas coreografias de folclore não concorrem em Dança do Ventre ou Danças Orientais pq elas são danças folclóricas e os juízes não sabem a diferença entre elas, não entendem da dança, da cultura, da vestimenta, da musicalidade ( não foi com a dança árabe mas vale o relato: um grupo levou para a competição uma dança fúnebre havaiana  respeitando todos os requisitos de vestimenta e coreografia, uma das arbitras deu uma nota baixíssima que os tirou da zona de premiações e disse no seu parecer “bailarinos tem que aprender a sorrir no palco!”).
Para leigos basta ouvir um derbak para ver com outros olhos, o povo do ballet acha “lindo” figurino e tem abominação por qq uma q esteja acima do peso,  não podem ver um véu wings que ficam deslumbrados ou o coreógrafo enche de ballet e esquecem da dança árabe para agradar a banca.
Um bom derbak , como nos diz Lise Bueno no Regulamento do Sulamericano 2012, “ para a
sua boa construção, como o compasso rítmico, a dinâmica e a criatividade. Cuidado com a estagnação, abuse das figuras cênicas  (movimentação no palco) elaboradas, bem como a percussão corporal segmentada ou composta.”  Cansei de ver gente que não saia do lugar, fora do tempo, ignorando as mudanças de ritmo.
Quem se propõe a dançar com qualquer material tem que ter em mente que ele  complementa  a dança, não dança sozinho e tem que ter qualidade de movimento, variedade. E a banca não vê isso!

Temos tantas profissionais altamente capacitadas e especializadas em dança árabe, existem tantos profissionais com um olhar dedicado ao folclore. Pq ainda somos julgadas por gente do ballet, jazz, hip hop, dança de salão? Será que eles tem alguma noção técnica da nossa dança? Sabem diferenciar um estilo do outro ( “bailarina tem movimentos muito pequenos” – a da bailarina usava técnica egípcia perfeita!!! )? Conhecem as nuances das danças folclóricas? Conhecem ritmos? Sabem como e em que danças devem ser usados?

NÃO!

Então, por favor, o que as bailarinas profissionais fazem nesses festivais?!
Vamos forçar os festivais a contratar banca especializada em árabe! Levemos só folclores, tradicionais, com figurinos tradicionais, com música típicas e dar um nó na cabeça de todos eles! Vamos nos fazer respeitar  respeitando nossa arte. Vamos parar de corromper a dança com outras danças! Só então os festivais terão alguma utilidade, dando pareceres  construtivos e valorizando os bons profissionais e seus trabalhos coreográficos. Ou só levemos nossas alunas em festivais especializados onde se fazem avaliações sérias.





3 comentários:

  1. Eu amei cada palavra!!!! E concordo com absolutamente td.

    ResponderExcluir
  2. perfeito proféssora!é o que sempre falamos em aula!e tu sabe que eu vou pra festival exatamente com folclore ecom figurino bem tipico e depreferencia bem antigo pra dar nó mesmo!contesto pareceres e brigo sim ate fazer todos entenderem que quem entende de folclore arabe é quem estuda folclore arabe!

    ResponderExcluir
  3. Oieee!!!
    Prazer em te conhecer , sou Thamy tenho um blog também, sou bailarina e pretendo ser professora, li que você fez faculdade de dança na UFRGS , vou tentar o vestibular de lá e também de outras faculdades de dança no ano que vem.
    Admiro muito a dança do ventre gostaria muito de poder aprender, mas na minha cidade não tem professora!!!!
    Parabéns , pelo que li em seu blog você me pareceu uma ótima profissional com formação adequada ,e é linda dançando( vi vídeos no you tube srsr) e por esse seu post vi que valoriza isso nas pessoas, nesse caso nos jurados!Concordo!!
    Bem , gostaria de uma opinião sobre o curso da UFRGS , se foi bom pra você , se for possível .
    Vou passar sempre pelo seu blog , obrigada .

    ResponderExcluir